ITF Pro Circuit atende ... Alice Matteucci

Postado em tênis

Da Itália Alice Matteucci está curtindo a vida em sua carreira de alto ranking WTA de 585 e 492 em simples e duplas, respectivamente. Tivemos a chance de ter um Q & A com o 18 anos de idade, que fez sua estréia Fed Cup no início de fevereiro deste ano.

ITF Pro Circuit: Você pode nos dizer onde você nasceu e talvez descrever a área onde você cresceu?

Alice Matteucci: Eu nasci em Pescara. Uma pequena cidade na Itália, na costa do Adriático.

Não quaisquer outros membros de sua família praticar desporto?

Meu pai costumava jogar futebol quando era jovem e agora ele está tentando jogar tênis. Minha mãe tem absolutamente nenhum esporte.

Então, como você começou no tênis?

Eu comecei a tocar quando eu tinha sete anos de idade no clube de ténis da minha cidade natal Pescara. Meu pai sabia que o meu antigo treinador, então eu tive a chance de tentar jogar. Ao mesmo tempo, eu estava jogando futebol tão bem, mas no final do tênis tomou meu coração!

O que você pode nos dizer sobre o seu atual treinador?

Desde o início do 2013 estou praticando a Federação Italiana (FIT), em Tirrenia e estou muito feliz, porque me sinto muito bem com o grupo que me segue. Daniele Ceraudo é o meu treinador de tênis.

Quem foram / são os seus ídolos de tênis?Flavia Pennetta (ITA)

Meus ídolos são Flavia Pennetta e Roger Federer. Eu escolhi Flavia, porque eu amo a sua personalidade na quadra e, claro, porque ela é italiana.

Roger, claro, para a sua classe, dentro e fora da quadra. Eu acho que ele é inimitável.

Qual é a sua maior lembrança tênis seja como jogador ou como um fã?

Bem a minha maior lembrança era absolutamente de fazer parte da equipe italiana Fed Cup no mês passado em Cleveland. Foi uma experiência incrível; foi a primeira vez para mim fazer parte de um evento importante como esse. Foi uma honra. Eu estava um pouco estressado quando eu joguei os duplos. Mas essas emoções nos fazem crescer tanto.

Outra lembrança, claro, era para ganhar o Campeonato Europeu com a equipe italiana júnior. Minha equipe estava com Camilla Rosatello, Jasmine Paolini e capitão Tathiana Garbin.

Quem foi o adversário mais difícil que você já enfrentou em quadra em uma partida ITF Pro Circuit?

Acho que foi o espanhol [Estrella] Cabeza Candela na primeira rodada do WTA Palermo no ano passado. Mas eu ganhei contra Ons Jabeur classificou em torno 130 com WTA algumas semanas atrás. Eu acho que ela era a garota melhor ranking que eu já batido.

Na sua opinião, o que você diria são os melhores e os piores aspectos de ser um jogador de tênis profissional?

Acho que a melhor parte da nossa vida são as emoções que sentimos a cada semana em uma parte diferente do mundo. Para viajar é a coisa mais incrível para mim. Toda semana temos uma oportunidade de fazer um passo em frente da nossa vida. Para conhecer novas pessoas, visitar lugares diferentes e aprender diferentes culturas.

Os piores aspectos poderia ser o estresse da vida, estresse e frustração são sentimentos que são inimigos neste esporte, mas temos de aprender, de ser parte deles e viver com eles. Às vezes, perder é uma parte difícil da nossa vida. Mas eu acho que os bons são aqueles que depois de uma decepção chega a levantar-se mais forte do que antes para a próxima batalha. Nós decidimos o nosso futuro, ninguém mais, estamos sozinhos na quadra e mesmo que parece cercado por um monte de gente, estamos mais solitário do que o que nós pensamos.

Até o momento em sua carreira, o que tem sido a mais bonita local ITF Pro Circuit que você jogou em?

Acho que o mais legal Pro ITF que eu joguei até agora era Santa Margherita di Pula [na Itália]. Devido ao hotel ea hospitalidade que foram realmente bom. E eu quero dizer, estamos na Itália!

Tem havido quaisquer incidentes divertidos na quadra que você pode compartilhar?

Um dos incidentes mais divertidas na quadra que me lembro foi em um evento ITF júnior na Argentina. Eu estava jogando duplas com a minha amiga italiana Beatrice Lombardo. Bem, basicamente o nosso amigo estava fazendo o vídeo do ponto e fizemos um I-formação comigo na net. Beatrice servido e logo depois ela fez um voleio movimentação de golpe e ela me bateu bem na minha cabeça por trás!

Foi tão engraçado que não podíamos continuar a jogar. Foi tão difícil, mesmo para servir depois e estávamos rindo tanto que o árbitro entrou em quadra.

Em setembro 2013, você ganhou o seu primeiro título de simples profissionais, como é que essa sensação e que você pode se lembrar do momento match point?

Sim, em Pula eu ganhei meu primeiro título pro singles. Eu ganhei uma final dura contra Claudia Giovine. No terceiro set eu estava ganhando 5-2 e, em seguida, ela voltou uma vez eu ganhei 75. Lembro-me de que ela fez um backhand para fora e eu simplesmente não podia acreditar! Foi uma sensação incrível, porque foi um dos meus primeiros $ 10.000 [eventos] tocou e eu estava tão feliz por ter tido a chance de ganhar.

Como você encontrou jogadores relações uns com os outros para estar em torneios do circuito ITF Pro em comparação com outros circuitos que você pode ter jogado?

Bem em Juniors Encontrei um relacionamento incrível com outros jogadores, porque estávamos todos jovens e jogar todos os Slams juntos, construímos um ótimo relacionamento tal. No ITF Pro é diferente porque há tantas meninas mais velhas do que eu e no começo eu não os conhecia tão bem, mas eu chegar mais perto com eles agora.

Na Pro Circuit tudo é mais profissional e, na verdade, há menos tempo para se divertir em comparação com juniores.

Como foi jogar no Circuito ITF Pro você ajudou como jogador?

Pro ITF está me ajudando neste processo importante e fundamental que me leva de juniores para WTA, é muito importante a desempenhar bom nesses torneios para tentar se tornou um bom jogador.

Você recomendaria que juniores continuar a jogar o Circuito ITF Pro?

Sim, porque começamos a partir daqui com o tênis real e classificação WTA. Mas eu acho que Juniors também são uma parte importante da experiência de um jogador. Pessoalmente, eu realmente aprendi muito com Juniors. Ele me ajudou muito.

Qual o aspecto de jogo de outro jogador que você mais inveja?

Eu realmente não invejar o jogo de alguém, mas cada vez que eu olhar para o jogo de alguém que eu tento olhar para a sua qualidade para tentar aprender o melhor dele. Pessoalmente, eu acho que posso aprender muito observando o poder de Serena ou as saraivadas de Vinci, mas também a mentalidade de Azarenka.

Falando de outros jogadores do sexo feminino (passado e presente), nomeie os vários jogadores cujos atributos você levaria para criar seu próprio super-jogador do sexo feminino?

Servir: Serena Williams
Retorno de servir: Camila Giorgi
Forehand: Maria Sharapova
Revés: Agneska Radwanska
Volley: Roberta Vinci
Posicionamento: Na Li
Velocidade em quadra: Camila Giorgi
Concentração: Serena Williams
Espírito de luta: Dominika Cibulkova
Entretenimento: Jelena Jankovic

Se você só poderia ter um título de Grand Slam, o que você escolheria?

Wimbledon

Qual foi o melhor conselho que lhe foi dado?

Uma vez, uma pessoa me disse que nós somos os únicos que controlam nosso destino, amanhã vamos acordar e decidirmos ser quem queremos ser por nossas ações. Cabe a nós, nós apenas temos que querer isso dificilmente sem quaisquer limites, porque os únicos limites são aqueles que estabelecemos para nós mesmos.

Longe da quadra de tênis você tem quaisquer outros interesses?

Eu amo a prática de esportes em geral, adoro sair com os amigos, música e cinema são minhas paixões. Eu também li sobre psicologia e escrever.

Reunião qual celebridade iria deixá-lo chocada?

Seria, claro, meu ator favorito Leonardo Di Caprio, porque eu acho que ele é um ator incrível e ele interpreta diferentes personagens com um talento extraordinário.

Você tem um destino de férias preferido?

Eu amo Paris. É minha cidade favorita. Eu amo estar lá para passar o tempo com os amigos da minha família. Eu amo francês e é tão romântico.

Se você não tivesse se tornar um jogador de tênis o plano de carreira que você teria gostado de ter seguido?

Gostaria muito de ter seguido uma carreira em psicologia ou como escritor. Eu amo psicologia, eu li sobre isso e eu também gosto de escrever histórias.

Você definir-se todos os objetivos para 2014?

Na verdade, eu gostaria de terminar o ano no Top 300, mas eu vou jogar todos os torneios tentando fazer o meu melhor, o ranking é o resultado do progresso que eu estou fazendo com as minhas coisas de todos os pontos de vista.

Por fim, dizer-nos algo sobre si mesmo que, possivelmente, não muitas pessoas já sabem?

Eu amo o chocolate mais do que tudo o resto. É a minha fraqueza secreta. Shh, não diga isso para o treinador!



Leia o artigo completo no ITF Tennis Pro-Tennis News


Betway Sports £ 30 aposta gratuita £ 10 clube de apostas grátis